SIGA A FENEP NAS REDES

Congresso da FENEP irá discutir os desafios do retorno ao presencial

O retorno ao ensino presencial trouxe inúmeros desafios às escolas. Além da preocupação com a recuperação das lacunas de aprendizagem, outro aspecto também está no centro das atenções dos educadores: a saúde mental dos alunos. Relatos de desinteresse pelos estudos, desânimo, ansiedade e até depressão entre crianças e adolescentes são cada vez mais frequentes. Diante desse cenário, a FENEP promoverá nos dias 1º e 2 de julho a 7ª edição do Congresso de Educação, com o tema “O mundo real voltou: como reinserir estudantes à rotina das aulas presenciais”. O evento discutirá os aspectos cognitivos e emocionais dos alunos nesse retorno ao ensino presencial e trará dicas de como a escola e a família podem atuar nesse novo contexto. O Congresso é online e voltado para todos os públicos da escola – professores, equipes pedagógicas, gestores – e também para as famílias. O evento tem como patrocinadores, até o momento, o Educbank e o Educa 21. Clique aqui e garanta já a sua vaga.

Segundo a diretora da FENEP e coordenadora do Congresso, Zuleica Reis Ávila, a decisão por trazer esse assunto como tema central do evento foi em função da preocupação dos gestores e educadores com relação ao comportamento desses estudantes no retorno ao presencial. “Estamos percebendo um certo desalinho com relação ao brilho no olhar, à vontade de estudar. Os alunos estão com dificuldades de se adequar à rotina escolar. Por que isso tem ocorrido? Quais os motivos? Como ajudar esses estudantes? São questões que queremos discutir” destaca. Essa preocupação é compartilhada também pelas famílias. Uma pesquisa realizada pela Pearson aponta que 96% dos pais gostariam de serviço para saúde mental nas escolas. Outro ponto levantado no estudo é de que 67% dos brasileiros acreditam que as crianças deveriam ser introduzidas em programas e recursos de bem-estar e saúde mental logo nos primeiros anos de vida escolar. E cerca de 93% dos pais afirmam que os colégios devem desempenhar um papel mais importante na formação de pessoas.

Esther Cristina Pereira, diretora da FENEP, destaca que as dificuldades e inseguranças vividas nesse retorno ao presencial não é só dos estudantes, mas de toda a comunidade escolar, e isso também será tratado no Congresso. “Quando pensamos em retorno após a pandemia, necessitamos de um olhar mais abrangente e leituras que nos demonstram que o retorno não está sendo leve para nenhum setor. Fomos acostumados à inércia do trabalho e estudo online, e viver o presencial está sendo muito trabalhoso para todos”, pondera. Ela acredita que parte desse problema é que por dois anos todos viveram afastados do real. “Digo isso porque verdadeiramente estivemos alheios ao real: discussões, enfrentamentos, desafios postos a todos em todos os momentos, porque essas situações só vivemos no cotidiano presencial, pois no online, fechamos nossa tela e desligamos os problemas. E com a pandemia aprendemos isto: deletar o outro, deletar o mundo, deletar as responsabilidades”, destaca a educadora.

O Congresso também irá propor um olhar sobre o perfil desse aluno pós-pandemia. “Percebemos que esse estudante está diferente, está fragilizado. Precisamos compreendê-lo, identificar o que mudou em comparação com aquele estudante de 2019, para conseguir auxiliá-lo na recuperação das aprendizagens, mas especialmente no resgate da motivação em aprender. Sem isso, não temos como trabalhar os aspectos pedagógicos”, pontua Zuleica.

A expectativa da FENEP é de que essa edição alcance o maior público possível, envolvendo não só os gestores, mas as equipes técnicas, como coordenadores e professores, e também a família. “Os assuntos abordados são de interesse de todos os públicos da escola e também dos pais e alunos. Todos foram impactados com a pandemia e estão vivendo os desafios e dificuldades desse retorno às atividades presenciais”, salienta Zuleica.

LEIA TAMBÉM