SIGA A FENEP NAS REDES

Cultura do movimento nas escolas é tema do Podcast #11 da FENEP

Entrevistados do 11º episódio sugerem novas metodologias de ensino para desenvolvimento de habilidades importantes

A prática de atividade física nas escolas ainda é confundida com brincadeiras. Uma das grandes diferenças é que esportes e aprendizagem em movimento contribuem diretamente para o desenvolvimento de habilidades motoras fundamentais, essenciais para promoção de outras competências pessoais e sociais. Este foi o foco da conversa do jornalista Eduardo Wolf no episódio 11 do podcast “Educação Muda o Mundo”, produzido pela Federação Nacional das Escolas Particulares (FENEP). 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 80% dos adolescentes que frequentam escolas em todo o mundo não cumprem as recomendações atuais de praticar pelo menos uma hora de atividade física por dia. Além de ser uma questão de saúde, o mercado de trabalho mudou e exige profissionais com competências como empatia, protagonismo, autonomia e trabalho em grupo, habilidades desenvolvidas no esporte. 

No Brasil, uma grande parcela das crianças e adolescentes têm apenas a escola para aprender sobre a importância das atividades físicas para vida e para o aprendizado. Na visão do Presidente da Comissão de Educação Física Escolar do Conselho Federal de Educação Física (CONFEF), Antônio Ricardo Catunda, um dos entrevistados do episódio, ter profissionais qualificados e que compreendam a importância da prática é um primeiro passo para o formato ideal. “Educação Física nas escolas é algo muito sério que é relativizado, com a imposição de várias barreiras. Educação se dá em movimento e o esporte é uma ferramenta que contribui na formação de indivíduos mais aptos a viverem uma vida plena”, diz. 

Utilizar novas e modernas metodologias de ensino é um debate constante. Para o presidente do CONFEF, a cultura do movimento gera ganhos para o País. “Precisamos de políticas públicas de atualização de professores para entenderem as reais necessidades desta geração que é inquieta, precisa de mais velocidade na comunicação e movimento para manter engajamento nas tarefas”, pontua. 

O coordenador geral de Educação Física do Colégio Bom Jesus, Everton Saad, também entrevistado do podcast, acredita ser necessário mudar a cultura de que educação física é lazer e fonte de desestresse. “Só quem pode mudar essa cultura é o professor, na medida em que estabelece conexão entre alunos e pais para que a escola abra oportunidades de práticas esportivas de maneira mais efetiva”, acrescenta. Para ele, criar a cultura do movimento significa ir além das quadras poliesportivas e investir também em espaços que desenvolvam aprendizado em movimento. 

Acompanhe as entrevistas completas ouvindo o episódio 11 do podcast “Educação Muda o Mundo”, disponível no SpotifyDeezer ou Apple Podcasts.

LEIA TAMBÉM