SIGA A FENEP NAS REDES

Escolas particulares de Goiânia investem em adaptações para possível retorno às aulas

Mesmo sem uma previsão de dados para o retorno das aulas presenciais, as escolas vão se adaptar à nova realidade que causa uma pandemia do Covid-19 gerou. Quando acontecer, uma recuperação será um pouco diferente no Colégio Integrado, por exemplo: nada de abraços e contatos diretos com amigos e professores. No primeiro dia de aula, muita cautela e entrada pela primeira vez: como catracas serão liberadas, os alunos passarão por um aferição de temperatura e só vão acessar uma parte interna da escola se usar com máscaras. É verdade que vai encontrar um ambiente diferente do que sai no dia 16 de março, quando as aulas presenciais foram suspensas, mas tudo está sendo preparado com muito cuidado para garantir um ambiente seguro.

O diretor-geral do Colégio Integrado, Thiago Oliveira, explica que a expectativa de retorno é grande, porém, neste primeiro momento, o principal cuidado será a segurança sanitária e a saúde emocional dos alunos e professores. “Sempre fez questão de dialogar com os alunos e com as famílias. Neste período de distanciamento social, sabemos que esse acolhimento é fundamental. No mês de junho, realizamos uma edição especial do projeto ‘Integrado a Você’, que proporcionou momentos de troca de experiências e muita reflexão. Nossa disciplina de Convivência Ética, que sempre exerceu um papel muito importante no ambiente escolar, também auxiliar na escuta ativa dos alunos”.

Desde o início da pandemia, uma escola preocupa-se em garantir a segurança de toda a comunidade escolar. Para isso, foi montado um comitê, em conjunto com as demais escolas do grupo Saber, que reúne reuniões e ajuda com o apoio de um médico infectado contratado. Nas últimas semanas, eles realizam um trabalho de pesquisa imenso para estruturar uma volta às aulas. Mesmo sabendo que cada região brasileira possui especificidades, o grupo busca referências de outros países que retomaram como atividades, e os principais foram Dinamarca e algumas regiões da China.

O plano elaborado para o retorno às aulas, seguindo os seguintes pilares: segurança e rotina preventiva, saúde emocional e acolhimento, adequação do calendário acadêmico, diagnóstico da aprendizagem do modelo remoto e processo avaliativo. Para garantir a segurança dos alunos e funcionários, o Colégio fará a verificação da temperatura diária, além de solicitar, dos responsáveis, uma declaração de saúde dos estudantes. Todos os funcionários e alunos recebem instruções e dicas sobre a importância da lavagem das mãos e também evitam qualquer tipo de aglomeração.

Na entrada, estarão disponíveis tapetes higienizantes, que são barreiras de contenção de sujeira promovendo a proteção contra uma contaminação microbiológica que pode estar presente nas soluções dos calçados. Além disso, a limpeza geral do Colégio será realizada diariamente e o intervalo de desinfecção das áreas comuns será reduzido seguindo todos os protocolos indicados pelas autoridades de saúde.

Para reduzir o fluxo de pessoas, os alunos serão divididos, enquanto a metade assistir às aulas presenciais, outra metade acompanha virtualmente. Os grupos serão alternados a cada semana. Ainda na escola será facultativa, pois há alunos que fazem parte do grupo de risco ou que residem com pessoas do grupo de risco. A fim de garantir que todos os alunos tenham acesso às aulas, eles serão transmitidos em tempo real para os alunos que estão em casa. Nas salas, as cadeiras estarão posicionadas a 1,5 m de distância. Para evitar o ar-condicionado, como as janelas e portas serão mantidas abertas. Os horários de entrada, saída e intervalos serão alterados para evitar aglomeração. Os profissionais que são do grupo de risco, não retornam ao trabalho praticamente neste primeiro momento.

Adequações para o novo normal

Diante de uma possível reforma das aulas presenciais, o Colégio Externo São José desenvolve um protocolo pedagógico e de saúde, seguindo todas as orientações dos órgãos competentes, para garantir a segurança e a integridade dos alunos com essa reforma das aulas presenciais. Entre as medidas e readequações na estrutura feita pela escola ou o seguro social social entre os alunos, com afastamento das carteiras a uma média de um metro de distância, uso obrigatório de máscara, sinalização de todas as áreas da educação; uma desativação do espaço de bebedouros, substituídos por pias com água e sabão, assim como uma ampliação de dispensadores, tapetes sanitizantes e totens com álcool em gel pelas dependências do colégio.

A diretora pedagógica do externo São José, Tatiana Santana, ainda recupera esse valor que será possível realizar de forma escalonada, com as aulas de aula que recebem uma quantidade menor de alunos por dia, inclusive com horários de lanche e descanso alternados. No que diz respeito ao ensino, o Externo São José faz um diagnóstico do que foi assimilado e bem aprendido durante o período de aulas on-line, e, se necessário, retomar o conteúdo e a prática para a realização de lacunas de aprendizado. “Diante desse novo momento, precisamos estar cientes de que trata uma nova realidade, para precisar de estar atentos, de forma proativa e paciente, para adaptar a melhor maneira possível. O nosso compromisso é com a segurança, a integridade e o aprendizado dos nossos alunos”, complementa Tatiana.

Fonte: Jornal Hora Extra
Matéria publicada em: https://jornalhoraextra.com.br/educacao/21366-escolas-particulares-de-goiania-investem-em-adaptacoes-para-possivel-retorno-as-aulas/

LEIA TAMBÉM