SIGA A FENEP NAS REDES

FENEP avalia os novos integrantes do MEC

O ministro da Educação, Camilo Santana, anunciou e deu posse nesta sexta-feira (06) à equipe que formará a pasta ao seu lado. Foram escolhidos 11 chefes de secretarias e órgãos ligados ao ministério. A Federação Nacional das Escolas Particulares (FENEP) deseja boa sorte a todos os nomeados e reconhece a capacidade técnica de cada um deles para os cargos que foram indicados. 

“Sabemos do trabalho realizado pelo Ministro na área pública e que o devemos pensar em um ensino de qualidade independentemente  da mantenedora ser pública ou privada, mas existem excelentes quadros também em nossas instituições privadas, que respondem por 18% dos alunos na educação básica e 78% do ensino superior, e que poderiam fazer parte da equipe”, avalia o presidente da FENEP, Bruno Eizerik.

A ex-governadora do Ceará Izolda Cela foi confirmada para comandar a secretaria executiva do Ministério da Educação (MEC), que terá o papel de supervisionar as políticas públicas da área e as ações do ministério. 

Izolda era a vice-governadora ao lado de Camilo no governo do Ceará e o sucedeu quando ele renunciou para disputar uma vaga no Senado Federal. Antes, ela havia sido secretária estadual de educação do Ceará, quando esteve à frente de um programa que reduziu desigualdades e aumentou o nível de aprendizagem estudantil. Aos 61 anos, é professora e psicóloga, formada pela Universidade Federal do Ceará (UFC).

Conheça a lista e o perfil dos demais ocupantes da secretaria e órgãos do MEC: 

  • Secretaria de Educação Básica: Kátia Schweickardt

Doutora em Sociologia e Antropologia pela UFRJ e professora associada da Universidade Federal do Amazonas, ela irá atuar na formulação de políticas para a educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio. Segundo Camilo, o foco é “fortalecer a educação básica no Brasil”.

  • Secretaria de Educação Superior: Denise Carvalho

Reitora da UFRJ desde 2019, Denise Pires de Carvalho é professora em programas de pós-graduação em endocrinologia e em fisiologia no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho. Também integra entidades de classe, como a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, e a Sociedade Brasileira de Fisiologia.

À frente da secretaria, terá como atribuição planejar, orientar, coordenar e supervisionar o processo de formulação e implementação da política nacional de educação superior.

  • Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres): Helena Sampaio

Professora da Unicamp, Helena Sampaio será responsável pela formulação de políticas para a regulação e supervisão de instituições de educação superior. Ela é graduada em ciências sociais, com mestrado em Antropologia Social e doutorado em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP).

  • Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica: Getúlio Marques Ferreira 

Professor e ex-reitor de institutos federais, ele terá a missão de formular, planejar, coordenar, implementar, monitorar e avaliar políticas públicas de Educação Profissional e Tecnológica (EPT).

No Ministério da Educação, Marques já atuou como coordenador de Planejamento Orçamento e Gestão, diretor da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e secretário adjunto da Setec.

  • Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão: Zara Figueiredo

Doutora em educação pela USP e docente da educação básica pública por mais de 20 anos, ela vai cuidar no MEC da educação continuada e alfabetização de jovens e adultos.

Zara também foi professora na Universidade Federal do Paraná, coordenou o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Política Pública de Educação na federal de Ouro Preto, além de ter experiência nas áreas de políticas públicas educacionais e desigualdades raciais, entre outros.

  • Secretaria de Articulação com o Sistema de Ensino: Maurício Holanda Maia

Doutor em Educação e professor, ele será responsável por promover articulações com secretarias estaduais e municipais de ensino.

Antes de ser convidado para o cargo, Holanda foi secretário de educação do Ceará, secretário de educação de Sobral, no Ceará, e consultor legislativo da Câmara dos Deputados para a área de Educação, Cultura e Esporte.

  • Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE): Fernanda Pacobahyba

Nome de confiança de Camilo, foi secretária da Fazenda do governo do Ceará. Ela ficará à frente de um dos órgãos mais cobiçados por líderes do Centrão nos últimos anos.

Com um dos maiores orçamentos do ministério, o FNDE é responsável por colocar em prática grande parte dos programas de educação básica do país, como os de transporte-escola, merendas e compras de livros didáticos para escolas públicas.

  • Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes): Mercedes Bustamante

Professora titular da Universidade de Brasília (UnB), Mercedes Bustamante vai presidir a Capes, órgão vinculado ao MEC responsável por avaliar os programas de pós-graduação de mestrado e doutorado no país, autorizando ou não o seu funcionamento.

Bióloga graduada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, tem mestrado em Ciências Agrárias e doutorado em Geobotânica.

  • Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep): Manuel Palácios

Doutor em ciências sociais, ele vai presidir do Inep, órgão ligado ao MEC que, entre outras atribuições, é responsável por produzir estudos sobre a educação no país e por elaborar, organizar e aplicar exames como o Enem, Enade e Encceja.

Palácios já havia ocupado outro cargo no MEC na segunda gestão de Dilma Rousseff, quando foi secretário de Educação Básica.

  • Fundação Joaquim Nabuco: Márcia Ângela

Doutora em educação pela USP e professora titular na UFPE, irá presidir a Fundação Joaquim Nabuco. A Funaj visa preservar o legado histórico-cultural de Joaquim Nabuco, especialmente nas regiões Norte e Nordeste.

Com informações da Agência Brasil e G1.

LEIA TAMBÉM