SIGA A FENEP NAS REDES

Inadimplência: saiba como reduzir esse problema na sua instituição

A inadimplência sempre foi uma preocupação dos gestores das instituições de ensino, mas nos últimos anos, com a chegada da pandemia e o agravamento da crise econômica, essa área passou a receber atenção redobrada. Mas, antes de chegar no ponto mais crítico, que é a cobrança das dívidas em aberto, há medidas que podem ser tomadas para reduzir e, até mesmo, evitar o problema.

Para o diretor da FENEP e consultor em gestão, Eugênio Cunha, o primeiro passo para evitar a inadimplência é ter controle total sobre o que acontece na instituição, desde a gestão da vida acadêmica do aluno até as informações para a contabilidade, por meio de um sistema acadêmico e financeiro. “A gestão acadêmica permitirá a análise dos indicadores de desempenho da instituição por meio da emissão de relatórios detalhados e com a avaliação da performance de cada unidade, curso, coordenador ou professor. Enquanto isso, a gestão empresarial possibilita a visão da instituição de ensino como um negócio, olhando toda a gestão financeira e contábil. A integração permite o espelhamento de todas as atividades da escola”, explica o especialista, que também é gestor de escolas e instituições de ensino superior.

O diretor financeiro do Educbank, Caio Noronha, também acredita que os dados são fundamentais para evitar a inadimplência, pois auxiliam na tomada de decisões preventivas e de monitoramento e controle. “A partir dos dados, podemos ter informações prévias das famílias interessadas na escola, e dessa forma filtrar e escolher os responsáveis financeiros mais comprometidos com a educação do filho. Depois de já estarem matriculados, os dados ajudam a entender o fluxo de pagamentos por parte dos responsáveis financeiros. Dessa forma, você consegue propor mudanças para melhorar a sua previsibilidade”, explica Noronha.

O controle da inadimplência depende de uma boa gestão, que vai alem da área financeira. Para Cunha, uma escola que apresenta uma qualidade superior as suas concorrentes e menor oferta de descontos têm menor inadimplência. Noronha também defende que investir na qualidade do serviço ofertado é o melhor caminho para garantir a saúde financeira. “É preciso entregar um bom serviço e aumentar a percepção de valor da sua escola perante toda a comunidade”, defende.

Alem desses fatores, é necessário administrar o fluxo de caixa e ter indicadores de desempenho para que se possa controlar as informações sobre os pagamentos dos alunos, afirma o diretor da FENEP. E para esse trabalho, a tecnologia tem papel importante. “Ter um sistema de controle é fundamental para que seja possível entender a inadimplência e fazer as ações de prevenção, cobrança e emissão de relatórios. Nos dias atuais seria quase que impossível fazer gestão sem uso de tecnologias”, salienta Cunha.

Outro fator importante é o bom relacionamento com os pais ou responsáveis.É essencial criar um canal de comunicação efetivo e direto com as famílias. Jamais terceirizar esse relacionamento. Ninguém melhor que o próprio gestor para conhecer tão bem cada família”, salienta Noronha. Ele sugere que esse canal seja utilizado para lembrar dos pagamentos, colher feedbacks e entender os reais motivos dos atrasos.

Passo a passo para acabar com a inadimplência:

É necessário responder a algumas perguntas para entender as causas da inadimplência na sua instituição e identificar os caminhos para solucionar o problema:

1 – A inadimplência existe?

2 – Qual a dimensão dela em relação ao faturamento?

3 – Como a inadimplência é medida?

4 – Existe algum critério de identificação do inadimplente?

5 – Qual o percentual considerado admissível para a inadimplência?

6 – Quando devo iniciar a cobrar a inadimplência?

7 – A inadimplência está interferindo na operação da empresa?

8 – Como reduzir a inadimplência?

Respondidas essas perguntas, é importante elaborar um planejamento para cobrança, definir metas de redução da inadimplência e estabelecer uma política de prevenção no ato da matrícula.

(Fonte: Eugênio Cunha)

LEIA TAMBÉM