Grupo Marista é o primeiro a assinar termo de adesão para aplicação do Pisa-S 2020

Pisa para Escolas - programa que vai elevar a reputação de escolas brasileiras aos níveis internacionais - já é uma realidade no Brasil. O grupo Marista saiu na frente e assinou, na quarta-feira (20), o Termo de Adesão com o Sinepe/Pr para cinco colégios aplicarem o Pisa-S 2020, sendo três no Paraná, uma em Goiânia e outra em Ribeiro Preto.

Sobre o tema, Pedro Flexa Ribeiro - Diretor da FENEP e do SinepeRio, escreveu um texto para orientar as escolas que desejam aderir ao programa! Confira: 

Pisa para escolas: sobre o termo de adesão
 
“Nessa semana a FENEP apresentou a cada um dos sindicatos que integram sua base os contratos que explicitam as condições para a inscrição das escolas no projeto PISA para escolas. São 3 diferentes documentos: o Convênio a ser firmado entre cada Sinepe e a FENEP; o termo de adesão para cada escola interessada e, finalmente, os anexos, pelos quais a Fundação Cesgranrio explicita os critérios para a formação da amostra de alunos , para a produção de resultados do PISA-S , bem como o cronograma para aplicação da edição contratada pela FENEP.

A participação nesse programa é de caráter inteiramente voluntário e a critério de cada escola. As regras são, no geral, as mesmas já praticadas pela OCDE nas edições anteriores dessa variante do PISA validadas por sucessivas edições em diversos outros países. Elas estão minuciosamente descritas e detalhadas em suas clausulas, para as quais pedimos a atenção das escolas interessadas.

Essa será a primeira vez no Brasil que escolas tomam a iniciativa de se associarem com o propósito de empreenderem uma avaliação em larga escala. Ao dar esse passo, a Federação passa a se constituir como a instância através da qual as escolas brasileiras passarão a ter acesso a parâmetros internacionalmente reconhecidos”.

Ao propor esse projeto, a FENEP visa contribuir para o amadurecimento da cultura da avaliação no meio educacional. Por essa razão, independente do desempenho que venha a ser apurado, a circunstância agora gerada marca um novo momento para as escolas. Agora na condição de contratantes e de principais destinatárias das informações apuradas, elas assumem uma nova postura e responsabilidade. A divulgação dos resultados do PISA-S é concebida de forma respeitosa e cuidadosa com cada escola.  Por isso é importante que cada participante se comprometa a não permitir que as informações apuradas venham a ser usadas para rankings.

O propósito é que a participação no Pisa para escolas seja o ponto de partida para estabelecermos uma importante rede de colaboração entre escolas. Pretendemos criar, a partir da estrutura da FENEP, uma rede de colaboração através da qual as escolas possam compartilhar experiências. Isso pode envolver não apenas estabelecimentos das diferentes regiões do país, como também promover condições para colocar em contato escolas brasileiras que se interessem com as de outros países da OCDE, que também tenham participado do PISA-S.

Vale frisar que essa iniciativa não colide com - e nem substitui - os referenciais nacionais já consolidados pelo INEP. Nossos exames, seus processos e os seus bancos de itens constituem hoje precioso patrimônio da sociedade brasileira, que convém preservar e aperfeiçoar. Acreditamos na convivência entre diferentes parâmetros e na convergência entre perspectivas, que podem ser articuladas e combinadas para oferecer aos brasileiros de todas as origens uma escolaridade de qualidade. É universal o empenho de toda a sociedade brasileira em ver avançar as condições e a qualidade da escolaridade oferecida às novas gerações, em todas as redes e sistemas de ensino do país.

Nesse movimento, as escolas privadas dão à sociedade inequívoca demonstração do seu interesse e empenho pela promoção da qualidade do ensino e da trajetória escolar proporcionada às novas gerações de brasileiros”.

Pedro Flexa Ribeiro - Diretor da FENEP e do SinepeRio

SRTVS Qd 701, BLC 2 Centro Empresarial Assis Chateubriand Salas 207 a 213 CEP:70340-906- Brasília DF