SIGA A FENEP NAS REDES

Novo Ensino Médio, Homeschooling e Enem seguem como pautas prioritárias do setor em 2023

O presidente da FENEP, Bruno Eizerik, e o diretor Pedro Flexa dão panorama de expectativas para o ano que começa

O ano de 2023 começa com muitas expectativas na Federação Nacional das Escolas Particulares (FENEP). Temas importantes para a educação básica e o setor particular de ensino básico seguem na pauta e acompanhados de perto pela entidade.

Apesar do aumento dos casos de coronavírus no País, as escolas seguem abertas e atentas aos cuidados sanitários e pedagógicos necessários. Segundo o professor Pedro Flexa, diretor da FENEP. “Seguimos atentos aos protocolos sanitários, mas valorizando sempre a presença de alunos nas escolas. Saber conviver é um aprendizado que se faz nesse ambiente. Há muitas possibilidades de atividades híbridas, mas não dispensam aulas presenciais em 2023 que será um ano de experimentações e avanços”, considera.

As mudanças políticas são percebidas com tranquilidade pelo presidente da Federação, professor Bruno Eizerik. “Vamos estar atentos na defesa da livre iniciativa da educação. Precisamos de uma escola plural e que possa desenvolver trabalhos importantes para o avanço da sociedade. Esperamos que o financiamento público seja retomado e que o FIES volte a ganhar destaque, por exemplo. É um importante instrumento para jovens ingressarem no ensino superior”, analisa.

Alguns temas merecem destaque e participação ativa da FENEP:

Novo Ensino Médio:

O Novo Ensino Médio foi pauta destaque em 2022 que foi o primeiro ano de implementação de novas metodologias de ensino. Na visão do diretor Pedro Flexa, a reforma foi longamente amadurecida e põe ao alcance do estudante a possibilidade de uma trajetória escolar mais pertinente. “Os desafios para gestores e professores são muitos. Mas a formação das novas gerações requer diversidade. O currículo único foi experiência feita ao longo das últimas cinco décadas, em que se colheu fracasso, repetência e abandono escolar. É hora de virar essa página e seguirmos com as mudanças em 2023”, diz.

Para ele, a nova versão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vai chancelar o novo formato. “Aguardamos a divulgação das novas matrizes para o Exame. Na perspectiva do estudante, o desejável é que o Enem induza a oferta de itinerários cujos contornos dialoguem com o projeto de vida e áreas de atuação profissional”, acrescenta.

Homeschooling

O Projeto de Lei 1.388/2022, que regulamenta o ensino domiciliar no Brasil, segue em avaliação no Senado Federal. O debate sobre o homeschooling a estudantes da educação básica tem sido feito em audiências públicas na Comissão de Educação e algumas já estão programadas para o início do ano parlamentar. A FENEP segue contrária ao projeto e, este ano, de acordo com o presidente Bruno Eizerik, seguirá articulando para barrar a proposta.
Recuperação do aprendizado e novas tecnologias:

A recuperação do aprendizado prejudicado pelo período crítico da pandemia por meio de novas tecnologias e as metodologias de ensino híbridas são pautas que também estarão presentes ao longo do ano letivo.

A cada novo ano, aumenta a necessidade de as salas de aula oferecerem educação integrada, com habilidades socioemocionais e de autoaprendizagem. Portanto, a presença do aluno na escola é sempre fundamental para desenvolver competências que vão além dos conteúdos programáticos. Além disso, com o desenvolvimento tecnológico, as instituições têm oportunidade de utilizar novas ferramentas.

Ações para 2023

O ano promete boas experiências para gestores e professores associados à FENEP. Além das diversas atividades e encontros que serão promovidos para debater os temas importantes do setor educacional, haverá uma agenda cheia de aprendizados.

De 02 a 14 de maio está programada a viagem da Missão Educacional para Israel e entre 17 e 27 de setembro, o destino será a Estônia e a Finlândia. Ambas serão oportunidades para conhecer outras metodologias de ensino que são referência no mundo todo, estabelecer conexões e networking.

Outras importantes ações como o Colégio dos Assessores Pedagógicos do Ensino Privado (CAPEP) seguem em ação este ano. “O CAPEP segue articulando assessorias pedagógicas das diferentes SINEPES e regiões, reunindo em seu time uma diversidade e amostra bem representativa do setor. Essa abrangência tem nos permitido fornecer aos sindicatos e escolas informações úteis e referências para os passos a serem dados”, diz o professor Flexa.

Ao longo do ano, a FENEP irá promover uma série de ações para colaborar com os sindicatos associados e seus gestores. Fique sempre atualizado acompanhando o nosso site.

LEIA TAMBÉM