SIGA A FENEP NAS REDES

Parcerias público-privadas contribuem para Estônia ser referência em Educação Digital

Em webinar nesta quarta-feira (23), especialistas explicaram modelo educacional e a relação entre governo e entidades privadas dos países que receberão a Missão FENEP 2023

A Federação Nacional das Escolas Particulares (FENEP), em parceria com o Estônia Hub, promoveu webinar gratuito sobre os sistemas educacionais da Estônia e Finlândia, na última quarta-feira (23/11). O encontro é a segunda ação de aquecimento para a missão internacional em ambos os países que a Federação vai promover entre os dias 17 e 27 de setembro do próximo ano. Na live, especialistas detalharam suas experiências que levaram os sistemas educacionais a se tornarem referência no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa). 

Bruno Eizerik, presidente da FENEP, reforçou a importância da Missão. “É necessário conhecer novas experiências que funcionam. A Finlândia e a Estônia são muito diferentes do Brasil e é claro que não podemos simplesmente transportar algo que acontece em outro país para a realidade brasileira, mas podemos estudar e ver o que acontece de bom para aproveitar o que for possível”, considerou. 

A Estônia, onde gestores brasileiros passarão cinco dias na Missão Educacional, é um país que está ganhando relevância no mundo como 1º no ranking do PISA na Europa e em Educação Digital. Durante três dias, os profissionais da educação também poderão conhecer a Finlândia, 6º colocado mundial no PISA, onde ensino é gratuito da educação básica até a universidade e se destacam pela diversidade do modelo de avaliação. 

Durante o webinar, a consultora de Transformação Digital na e-Estônia Briefing Centre, Erika Piirmets, fez observações sobre o funcionamento da Estônia. “Nosso governo oferece serviços públicos e trabalhamos com a tecnologia focada em atender o cidadão. Tudo isso funciona devido a parcerias público-privadas”, pontuou. Para ela, a cooperação é fundamental para a inovação.

O sistema educacional no país é gratuito e financiado pelo Estado. Um dos diferenciais do país para o bom funcionamento educacional é a autonomia concedida às escolas na organização curricular e na gestão, além de uma grande valorização da educação pela sociedade. Para exemplificar o quanto a tecnologia e o ensino caminham lado a lado, a consultora Erika Piirmets relatou experiências próprias como professora durante a pandemia. “Consegui ensinar muito facilmente, pois todos tinham acesso à internet, portanto, dei aulas em praias e no campo, por exemplo”, contou.

O CEO do Estônia Hub, Raphael Fassoni, explicou sobre renda per capita, modelos de educação e de governo. A estratégia de transformação do ensino no país europeu, segundo o especialista, envolve uma composição de pilares: sociedade civil, vontade política, estrutura jurídica, educação, empreendedorismo/investimentos e tecnologia. “A fórmula de sucesso da Estônia no PISA é autonomia, capacitação e recompensa de lideranças e professores”, pontuou. 

Durante a Missão serão realizados workshops e palestras para contextualização da jornada de transformação digital da Estônia e da Finlândia. O programa contempla um total de 15 visitas técnicas para imersão e descoberta do ecossistema mais digital do mundo, sendo ainda o mais avançado networking com stakeholders e instituições de referência.

LEIA TAMBÉM