SIGA A FENEP NAS REDES

Retrospectiva 2022: principais ações da FENEP para o setor e para os associados

O presidente Bruno Eizerik analisou alguns dos momentos mais importantes deste ano

Pandemia, eleições, Copa do Mundo, crises políticas e sociais marcaram 2022. O ano foi desafiador para muitos brasileiros e para o setor educacional não foi diferente. Ainda em recuperação das consequências do período pandêmico, escolas públicas e privadas tiveram que se reestruturar para reverter os impactos causados, além de investir em novas. tecnologias.

O presidente da FENEP, Bruno Eizerik, fez um balanço do ano e, mesmo em meio a algumas dificuldades, considerou o período positivo para o setor. “Como federação, visitamos escolas, participamos de pequenos e grandes eventos, promovemos capacitação e diálogo entre dirigentes e SINEPEs, e conseguimos ver mais de perto vários momentos de troca de experiência entre os estados”, afirmou. 

Novo Ensino Médio

Para além das ações, visando recuperar a qualidade do ensino tão prejudicada nos últimos dois anos, a implementação do Novo Ensino Médio marcou 2022 como uma vitória da Educação. Já era esperado que o modelo de ensino sofresse alterações já que o mercado de trabalho e as transformações do mundo exigem habilidades como protagonismo, criatividade, tomada de decisão e controle das emoções. O novo currículo passou a ser organizado por áreas de conhecimento, deixando de lado o conceito conteudista de matérias separadas apenas por disciplinas técnicas. Desde o início do ano, alunos do primeiro ano experimentaram as novidades com a nova composição que contou com aumento da carga horária e possibilitou a escolha de itinerários formativos. Até 2024, a mudança estrutural será efetivada em todas as escolas do País.

Para Eizerik, a FENEP teve boas contribuições no debate do tema. Ele avaliou as mudanças como positivas e necessárias. “Foi muito importante, a professora Amábile Pacios, nossa vice-presidente e Professor Pedro Flexa,  trataram do tema em diversas oportunidades, houve comissões formadas para trabalhar a estruturação do Novo Ensino Médio, incluindo o ENEM e o SAEB, e a FENEP teve assento nas comissões. Os trabalhos seguem e  vamos continuar participando ativamente da construção em 2023”, pontuou. 

Com as mudanças, surgiu também uma nova discussão: a estrutura do novo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) que será aplicado a partir de 2024. Os novos parâmetros da avaliação foram construídos por um grupo de trabalho do qual a FENEP fez parte.  “Ainda estamos aguardando a matriz do novo ENEM, porque as escolas já estão implementando o Novo Ensino Médio e precisam se preparar. Esperamos que não haja nenhum retrocesso em função da mudança de governo”, ressaltou o presidente. 

Homeschooling

A Federação também protagonizou outro grande tema em 2022:  a discussão do modelo de ensino domiciliar no Brasil, mais conhecido como “homeschooling”. O projeto propõe uma alteração no entendimento da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e a proposta, que está sendo discutida no Congresso Nacional, prevê uma mudança para admitir o ensino em casa na educação básica, ou seja, da pré-escola ao ensino médio.

Desde o início da tramitação do projeto de lei, a FENEP fez articulações com os deputados e senadores para barrar a proposta, pois entende que, se aprovada, trará riscos para o desenvolvimento social e cognitivo dos estudantes. “Somos contra o homeschooling, sabemos que, em 2023, a questão passará a ser discutida no Senado, seguimos com o entendimento de que o local de aluno é na escola. Algumas situações excepcionais admitem o ensino domiciliar, mas não pode vir a ser uma regra”, avaliou o presidente sobre o desenvolvimento da temática este ano. 

Eleições

O setor privado de ensino também teve contribuições importantes em temas de discussão nacional. Em relação às eleições, a FENEP lançou o manifesto “Brasil do Futuro: visões e propostas das escolas particulares” com propostas do setor para melhorar a qualidade da educação do País e ampliar o acesso ao ensino. Dentre as sugestões para fortalecer a educação brasileira estão a modernização do marco regulatório da avaliação e da supervisão, a criação de um novo modelo de financiamento estudantil para o acesso ao ensino superior, o desenvolvimento de mecanismos de integração da educação superior com a educação básica, a implementação de parcerias público privadas, a criação do pró-básico entre outras. “A criação desse documento foi muito importante porque não há outra maneira de colocarmos o País nos eixos se não for com investimentos em educação que deve ser tema prioritário do Governo Federal, Estados e Municípios. Esperamos ter uma bancada no Congresso ligada à Educação, em 2023”, detalhou o presidente.

Outro importante documento foi o estudo sobre os Números da Educação Privada Brasileira, lançado em 30 de agosto pela FENEP que, de acordo com Eizerik, apresentou dados estatísticos importantes, além de um retrato detalhado do tema. “O material serve para mostrar o tamanho do setor e a realidade regionalizada. Muitos dados desmentem algumas teorias e servem como condução para ações que podem melhorar ainda mais a atuação das escolas”, pontuou.

Ações para associados

Em 2022, para além das ações da Fenep em prol da educação em todo país, muito foi feito pelos associados. Duas importantes missões educacionais que vão acontecer em 2023 tiveram a devida atenção este ano, com encontros virtuais e presenciais. Os momentos também serviram para alinhar os propósitos das viagens e para estudar os países que receberão gestores brasileiros: Estônia e Finlândia, em setembro de 2023, e Israel, em maio. Entender o modelo de eficiência da educação dessas nações, criar networking com participantes e instituições, realizar visitas de benchmarking em escolas de referência e conhecer na prática as principais tecnologias e plataformas são alguns dos principais objetivos das missões. 

Assim como encontros híbridos e presenciais para discutir sobre as viagens, outros encontros aconteceram com intuito de aproximar os associados. Dentre eles o VII Congresso da FENEP, com o tema sobre saúde mental da comunidade escolar, que ocorreu em julho de forma online e reuniu mais de 5 mil educadores e gestores do ensino privado de todo o país. 

O encontro virtual com dirigentes e equipes dos SINEPEs filiados também foi uma importante ferramenta para entender detalhes sobre projetos e ações da Federação voltados aos associados, além de ouvir as necessidades de cada entidade. Além do Congresso, eles tiveram a oportunidade de se reunir mensalmente para troca de experiências. Essas foram oportunidades de avaliar o andamento de projetos da entidade e seguiu os mesmo objetivos do Rota da Educação, importante iniciativa desenvolvida pela Federação no início do ano. “Independente do formato – online ou virtual -, sempre nos reunimos com os SINEPEs para dialogar e atualizar questões cruciais para a Educação. Essa troca de informações é o que motiva muitas mudanças e melhorias”, ressaltou o presidente Bruno Eizerik.

Eventos e serviços

Capacitação e serviços são sempre parte do trabalho da Federação. Em agosto foi realizado o Meeting, encontro presencial para gestores do ensino privado, em São Paulo. O momento preparou os dirigentes para o período de matrículas e o abordou o planejamento de 2023. Na mesma proposta, dirigentes da FENEP integraram a programação da BettBrasil 2022, em maio, na cidade de São Paulo. O evento é considerado o maior encontro de educação, tecnologia e inovação da América Latina juntamente com o Congresso Nacional de Gestão Educacional (GEduc) que também contou com a participação de dirigentes da Federação. “Precisamos levar nossos presidentes para conhecer as principais tendências que são apresentadas no GEduc, além da parte pedagógica que é o forte da BettBrasil. As parcerias com grandes eventos deste ano propiciaram não apenas atualização e qualificação como união entre dirigentes”, disse Eizerik.

Em maio, Florianópolis recebeu o XIV Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular (CBESP), o maior evento do segmento da educação superior do país, promovido pelo Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular e pela Linha Direta. O tema abordado foi “Criatividade e inovação na construção da educação superior pós-pandemia” e reuniu reitores, mantenedores, autoridades, educadores e formuladores de políticas públicas para educação de todo o Brasil. A FENEP foi representada pelo presidente, Bruno Eizerik e pela vice-presidente, Amábile Pacios que, este ano, assumiu a presidência da Câmara de Educação Básica no CNE e contribuiu ainda mais de perto com as discussões do setor.

Em 2022, a FENEP também contou com ações de troca de experiência e orientações a sindicatos e associados. O Colégio dos Assessores Pedagógicos do Ensino Privado (CAPEP) funciona desde 2016 e, este ano, foi importante no auxílio às escolas para atravessar o período do isolamento social, com as aulas remotas. A partir do CAPEP e do Colégio de Advogados da Escola Particular (CAEP), documentos são produzidos para orientar temas importantes do setor em cada estado, tanto no âmbito pedagógico como no jurídico.

Novo portal e podcast

Para oferecer espaço para que profissionais da educação particular de todo o País se atualizem sobre as principais notícias do ensino privado e os associados fiquem por dentro dos serviços e produtos oferecidos pela Federação, a FENEP lançou, em julho, o novo portal que, segundo o presidente  Bruno Eizerik, faz parte do propósito de Federação. “A ideia é que a FENEP possa ser fonte de informação quando falamos em Educação”, pontuou. 

O portal conta com acervo de e-books e pareceres técnicos das assessorias Jurídica e Pedagógica, além de conteúdos multimídia como palestras, lives e entrevistas em vídeo e o podcast “Educação Muda o Mundo”. Este formato de conteúdos em áudio contou com 12 episódios, listando os principais temas do setor e alcançou ainda mais interessados nos temas. Entre os assuntos abordados foram discutidas questões como os modelos educacionais, o cenário da música como parte do currículo escolar, dicas sobre marketing digital e de como trabalhar política em sala de aula, o combate à fake news e o uso das tecnologias na Educação após a pandemia. 

2022 foi bem movimentado e em 2023 a expectativa é contribuir ainda mais para o debate e a construção de uma educação de qualidade para as crianças e jovens brasileiros, em especial, aqueles que estão nas escolas particulares. 

LEIA TAMBÉM