SIGA A FENEP NAS REDES

Seis universidades brasileiras somam 33 cursos entre os 100 melhores do mundo, aponta ranking global

Entre elas, está a USP, que tem 13 cursos entre os 50 melhores do mundo.

Seis universidades brasileiras somam 33 cursos diferentes entre os 100 melhores do mundo, de acordo com o “QS World University Rankings by Subject”, um ranking feito pela consultoria QS Quacquarelli Symonds, divulgado nesta quarta-feira (3).

A Universidade de São Paulo (USP) lidera a lista. Ao todo, são 32 entre os 100 melhores do mundo. Em seguida vem a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com 4; e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com 3. Completam a lista a Universidade Estadual Paulista (Unesp), a Universidade Federal de Viçosa (UFV) e a Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio), com um curso cada.

A análise considera as áreas de conhecimento como um todo, incluindo graduação e pós, em diferentes campis das instituições.

As melhores formações do país são em Odontologia na USP, Unesp e Unicamp. Em seguida vem Engenharia do Petróleo na USP e Unicamp, e Engenharia de Minérios e Mineração, na USP (veja a lista completa abaixo).

Em entrevista ao G1, o diretor de pesquisa da QS, Ben Sowter, afirma que o ranking não mede a qualidade do ensino, e sim a relevância do curso e da universidade, segundo parâmetros estabelecidos pela instituição. Assim, mesmo após um ano de pandemia e com a suspensão das aulas presenciais, a análise não foi afetada.

“Uma das coisas mais importantes a se reconhecer é que não estamos medindo a qualidade do ensino. Estamos medindo a posição acadêmica, a empregabilidade dos graduados, o impacto da pesquisa e a produtividade da pesquisa. Portanto, não estamos capturando o efeito da suspensão das aulas presenciais”, afirma Ben Sowter, diretor de pesquisa da QS.

Cursos do Brasil entre os 100 melhores do mundo
Critérios são reputação acadêmica, citação de pesquisas e empregabilidade.

Posição Universidade Área
13 Universidade de São Paulo (USP) Odontologia
22 Universidade Estadual Paulista (Unesp) Odontologia
26 Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Odontologia
28 Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Engenharia de petróleo
29 Universidade de São Paulo (USP) Engenharia de petróleo
34 Universidade de São Paulo (USP) Engenharia de Minérios e Mineração
37 Universidade de São Paulo (USP) Hospitalidade e Turismo
39 Universidade de São Paulo (USP) Engenharia – Civil e Estrutural
40 Universidade de São Paulo (USP) Veterinária
44 Universidade de São Paulo (USP) Antropologia
46 Universidade de São Paulo (USP) Geografia
46 Universidade de São Paulo (USP) Engenharia Agrícola e Ambiental
46 Universidade de São Paulo (USP) Direito
47 Universidade de São Paulo (USP) Línguas modernas
48 Universidade de São Paulo (USP) Arquitetura e Urbanismo
49 Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Engenharia Agrícola e Ambiental
50 Universidade de São Paulo (USP) Ciência Política & Relações Internacionais
51-100* Universidade de São Paulo (USP) Anatomia e Fisiologia
51-100* Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Antropologia
51-100* Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Arquitetura e Urbanismo

51-100*: desempenho colocou universidades dentro do mesmo patamar; outras tiveram resultados claros em posições únicas.

Fonte: QS World University Rankings by Subject

Ao todo, a QS pesquisou 13.883 programas universitários individuais, em 1.440 universidades em 85 locais ao redor do mundo, em 51 disciplinas acadêmicas e cinco amplas áreas de conhecimento . Os resultados completos podem ser acessados aqui.

No caso da USP, por exemplo, foi analisada a produção de conhecimento em São Paulo, Bauru e Ribeirão Preto.

Melhores cursos no Brasil

A QS analisou 241 programas de graduação em 32 universidades brasileiras, em 51 disciplinas acadêmicas.

A USP tem 13 cursos entre os 50 melhores do mundo. É o maior número entre as universidades latino–americanas.

O melhor curso do Brasil é o de Odontologia da USP. No ranking mundial, ele está em 13º lugar, um crescimento de cinco posições em relação à edição anterior da análise.

O ranking da QS também destaca o curso de Odontologia da Universidade Estadual Paulista (Unesp) está na 22ª posição. Na edição do ano passado, estava em 37º lugar, o que indica um crescimento de 15 posições entre as duas análises. Odontologia na Unicamp também melhorou a avaliação: está em 26º lugar, e antes era 29º.

A análise também aponta que a área de Engenharia de Petróleo se destaca no ensino superior brasileiro. O curso da Unicamp está em 28ª posição e o da USP, 29ª.

“O Brasil continua sendo o ecossistema de ensino superior mais forte da América Latina. Possui mais departamentos universitários classificados do que qualquer outra nação latino-americana (241), e apenas 12 países têm mais programas classificados do que o Brasil. Além disso, a Universidade de São Paulo continua a ser a universidade de melhor desempenho do continente neste exercício”, analisa Sowter .

Pesquisa contra Covid
Além disso, Sowter destaca iniciativas de pesquisa que colocaram a ciência brasileira em destaque, como no caso da Universidade Federal do Paraná (UFRJ) em parceria com a Universidade de Tübingen, na Alemanha.

“Vimos exemplos notáveis de colaboração de outras instituições brasileiras. Por exemplo, a recente parceria de pesquisa da Universidade Federal do Paraná com a Universidade de Tübingen, na Alemanha, que viu o desenvolvimento bem-sucedido de um teste de Covid-19 de 12 minutos, colocou os pesquisadores brasileiros na vanguarda da resposta à pandemia global”, revela.

Novos cursos na análise de 2021
Na lista dos melhores cursos do mundo, 4 programas brasileiros chegaram ao top 50 de suas áreas pela primeira vez:

  • Hospitalidade e Turismo, na USP (37º lugar)
  • Antropologia, na USP (44ª posição; antes estava na faixa de 51-100)
  • Engenharia Agrícola & Ambiental da Unicamp (49º lugar)
  • Ciência Política & Relações Internacionais da USP (50ª posição)

Melhores cursos na América Latina
No recorte por América Latina, a lista da QS aponta quarenta cursos da USP, Unicamp e UFRJ entre os 100 melhores da América Latina. A USP tem 32, seguida pela Universidade Nacional Autônoma do México, com 26; e a Pontifícia Universidade Católica do Chile, com 16.

A Unicamp está em sétimo lugar, com cinco cursos, e a UFRJ está em nono, com três.

Universidades e cursos entre os 100 melhores da Am. Latina

Instituição País nº cursos
1 Universidade de São Paulo (USP) Brasil 32
2 Universidad Nacional Autónoma de México México 26
3 Pontificia Universidad Católica de Chile Chile 16
4 Universidad de Chile Chile 14
5 Universidad de Buenos Aires Argentina 9
6 Universidad de Los Andes Colômbia Colômbia 6
7 Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Brasil 5
8 Universidad Nacional de Colômbia Colômbia 4
9 Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Brasil 3
10 Tecnológico de Monterrey México 2

Fonte: QS World University Rankings by Subject

Na América Latina, destacam-se cursos de “Agricultura e Florestas”, e “Engenharia de Petróleo”.

Segundo a QS, 41 dos 400 principais departamentos de “Agricultura e Floresta” do mundo estão na América Latina. Quase metade deles (17), no Brasil.

No ranking de “Engenharia de Petróleo”, 11 dos 100 melhores departamentos no mundo são de universidades latino-americanas.

10 melhores cursos da América Latina

Universidade Curso País
1 Universidade de São Paulo (USP) Odontologia Brasil
2 Universidad de Chile Engenharia de Minérios e Minas Chile
3 Universidad Nacional Autónoma de México Línguas modernas México
4 Universidad Nacional Autónoma de México Arqueologia México
5 Universidade Estadual Paulista (Unesp) Odontologia Brasil
6 Universidad de Buenos Aires Línguas modernas Argentina
7 Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Odontologia Brasil
8 Universidad Nacional Autónoma de México Antropologia México
9 Pontificia Universidad Católica de Chile Línguas modernas Chile
10 Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Engenharia de petróleo Brasil

Fonte: QS World University Rankings by Subject

Fonte: G1

Publicada em: https://g1.globo.com/educacao/noticia/2021/03/03/seis-universidades-brasileiras-somam-33-cursos-entre-os-100-melhores-do-mundo-aponta-ranking-global.ghtml

LEIA TAMBÉM